Quinta-feira, 3 de Fevereiro de 2005

CH( E )AT ROOM

Sexo. Gosto de sexo. Adoro Sexo.
Adoro conversas com entrelinhas, vinda de bons teclados. Minúsculas encantadoras, de gente interessante. Não necessariamente de conversa da treta, mas também não necessariamente, desprovida de conteúdo…Gosto de montanhas russas.

Gosto de Chats.

Conheci-te num chat, aliás. Conhecemo-nos, conversámo-nos…e amámo-nos.
Alimentámos essa paixão, com minúsculas preciosas, tal como o era o que partilhávamos…palavras que faziam crescer em mim, creio – e como quero acreditar – em nós algo, forte, intenso, poderoso…eu, cheguei a sentir-me o Bravehart, contra tudo e contra todos, mas era algo em que acreditava e pelo qual tinha de morrer a tentar…e penso que tu também acreditaste. Pelo menos até uma parte do caminho.
Era proibido, para nós…e sobretudo não queríamos magoar, que também dependia e contava com o nosso afecto, o amor maior.
A ansiedade do primeiro encontro ía dando cabo de mim. Mas houve o clic, para mim e para ti.
Pediste tempo, eu ansioso como sou, impulsivo também, fiquei pensativo, receoso, mas queria acreditar que seria bom, que desta vez tudo ia resultar. Afinal, gostava de ti, porra. Tu gostavas de mim. Ambos gostávamos de ler, de conversar, de nos picar, de sexo. Nas nossas conversas, debatia-se tudo. Era um verdadeiro Telejornal, misturado com entrelinhas picantes, bom vinho…bons filmes, boa comida. Ok, nesta altura pergunto-me: TEMPO PARA QUÊ?

Esperei. Olhei para o telemóvel mil vezes durante a noite…durante o dia, disquei duas mil vezes o teu número, mas desligava antes de completar a ligação. Vou respeitar…nem que amarre as mãos ou fure os pneus do carro mas não vou. Tenho de fazer jus à confiança de depositou em mim. E se é um teste? As mulheres muitas vezes fazem isso…perguntei a mulheres, nada como ir de encontro à informação pelas próprias, perguntei a 3 e todas me disseram: se pediu, respeita. Se foi mulher para te pedir isso, não te vai deixar assim, sem dizer nada. Qualquer resolução, saberás. Neste momento soava dentro de mim um Triiim: mas que resolução? Bolas! Comecei a ficar cismado, elas não me enganaram e disseram logo também: mas vê lá, estás preparado? Pela primeira vez, tremi.
Este tempo de espera deixou-me fodido. Mesmo fodido.

Voltaste, mas não foi para mim.

Recebi o sms em tom de telegrama: “- Tenta ser feliz, eu vou fazer o mesmo. Adeus.” Sem reticências, sem mais nada. Bomba. Fim. The End. Sem ser tido nem achado. Mas que merda é esta, pensei…aliás pensei muita coisa. Puta. Cabra.Acabaste com o meu mundo.
Como me pudeste fazer isto? Como pudeste fazer isto a NÓS? Que dor é esta? Que mistura é esta. Vida filha putice. Era a minha chance, a derradeira que me tinha dado a mim mesmo para ser feliz, de acreditar no amor, uma última vez…Ela não faz ideia o que me fez. Hoje continua a não saber.

Apeteceu-me ser EU agora o Filha da puta da vida dos outros, ou melhor, das outras. Fodi. Fodi, corpos, mentes…triturei palavras. Fiz mundos e realidades pessoais vacilarem, sem me importar a mínima, que se fodessem. Sem preocupações, sem pesos na consciência. Destilei galanteios, entrelinhas, sexo que tinha destinado a outra pessoa. Estava Dormente.
Atraquei…Atraquei a uma amiga (que era nossa amiga) …não sei bem o que é, mas está lá e penso que gosta de mim, ou melhor, sei…Se gosto dela…? Gosto…Sinto-me confortável.
Mas ainda hoje uma questão ecoa na minha cabeça, além do E SE…
Será que “words are trivial and forgettable” como dizem os Depeche Mode…?

Hoje somos um conto…numa folha de papel…mas ainda não consigo virar a página…

SeeUArround ;)

publicado por Pontog às 14:59
link do post | Dedos Marotos | favorito
7 comentários:
De Anónimo a 5 de Fevereiro de 2005 às 03:25
É no que dá andarmos aqui armados em parvos! :))))Não se pode confiar nesta gente, pá! É tudo virtual, coisas "com bicho"...não pode ser... Gostei muito do lugar! :))**so12
(http://www.naoeshomem.blogs.sapo.pt)
(mailto:so12@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 18:28
Há momentos, situações, pessoas, que nos marcam para a vida toda.Albatroz2
(http://100stress.blogs.sapo.pt)
(mailto:albatroz5@hotmail.com)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 18:14
Depeche mode...parafraseando os mesmos, polittikus :"I just can't get enought" sha la la ;) Fica bem...SeeUArroundFetiche
</a>
(mailto:fetiche1@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 18:11
Esclarecendo: Isto é um conto meu, acerca da realidade de muitas outras pessoas. Contudo, parece que não fiquei muito distante da verdade.Além de ser "A Fetiche" :) Fiquem bem SeeUArroundFetiche
</a>
(mailto:fetiche1@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 17:03
COMO TE COMPREENDO ... SE COMPREENDO ... a desilução é terrivel, angustiante, a sensação de sermos apenas um pedaço de papel amarrotado sem dó nem piedade. Como sou capaz de me sentir na tua pele ... , tenta recuperar, senão as teias vão prender-te sempre a esse passadso. Um abraçoXUPA NU PIPI
(http://xupanupipi.blogs.sapo.pt)
(mailto:gakusha@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 15:56
Que conto lindo. Reflecte bem a história de tantos nicks... nicks que deixaram de o ser. Deixaram que as suas palavras passasem a barreira do virtual para o real. Emoções ao rubro... paixões... desilusões. Enfim... Erotica
</a>
(mailto:Eroticaa@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 15:37
Quem não gosta de sexo??? hehehehe Ainda te lembras dessa letra dos Depeche Mode, deve ter pelo menos 15 anos... que tempos.polittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:pp@sapo.pt)


Dedos Marotos