Sexta-feira, 28 de Outubro de 2005

Beijo

Não posso deixar que te leve
O castigo da ausência,
Vou ficar a esperar
E vais ver-me lutar
Para que esse mar não nos vença.
Não posso pensar que esta noite
Adormeço sozinho,
Vou ficar a escrever,
E talvez vá vencer
O teu longo caminho.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

Leva os meus braços,
Esconde-te em mim,
Que a dor do silêncio
Contigo eu venço
Num beijo assim.

Não posso deixar de sentir-te
Na memória das mãos,
Vou ficar a despir-te,
E talvez ouça rir-te
Nas paredes, no chão.
Não posso mentir que as lágrimas
São saudades do beijo,
Vou ficar mais despido
Que um corpo vencido,
Perdido em desejo.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

Leva os meus braços,
Esconde-te em mim,
Que a dor do silêncio
Contigo eu venço
Num beijo assim.

Pedro Abrunhosa

Uma das minhas musicas preferidas :)


Fiquem bem

Votos de um óptimo fim de semana para todos

Erótica

publicado por Pontog às 16:38
link do post | Dedos Marotos | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 20 de Outubro de 2005

Nâo acredites no que vês...

Este post vem a propósito de uma pergunta que um amigo me fez. Se eu nunca iria escrever acerca da experiência que tenho de virtual, leia-se chat. Pois! Já lá vão uns anos. Muito havia por dizer. Passagens boas. Passagens menos boas. Há uns meses atrás escrevi algo a esse respeito, embora não muito desenvolvido.
No último post que aqui publiquei tentei retratar alguém, ou melhor dizendo, uma personagem com quem me cruzo frequentemente. E realço a palavra personagem pois trata-se de alguém com várias personagens.
Ao retratar “essa” personagem percebi como é fácil metermo-nos na “pele” de alguém. E só não o fiz na totalidade pois seria demasiado “pesado” (lol). A cada palavra que escrevia surgiam as palavras que leio diariamente. As “suas” palavras. (inconvenientes de ter memória visual lol) e sentia que conseguiria retratar aquela versão, sem grandes falhas a apontar. Note-se que não o fiz num sentido depreciativo. Note-se que tentei retratar não só a aparência como também um pouco da sua essencia. Mas, não adianta ir muito por aí.
Voltando ao tema, Chat é isso mesmo. Temos “pessoas”, aqueles que revelam ser quem são na realidade. Poucos. E, personagens. Cada vez mais. Demorei a tomar consciência da existência das personagens. Demorei a conseguir lidar com elas. Saí magoada … não conseguia conceber o porquê de inventarem realidades de vida. O porquê de se aproveitarem da ingenuidade, ou não será melhor dizer, da honestidade, de quem se limitava (e limita) a ser … quem na realidade era … e é. Detesto a mentira. E por isso mesmo cheguei a afastar de mim pessoas (ou personagens) por quem havia desenvolvido algum afecto. Mas algo mudou. Actualmente já consigo ir lidando, confraternizando, com personagens. Muitas vezes sei que várias personagens, várias histórias de vida, são a mesma pessoa. Mas consigo abstrair-me disso e teclar bem, sem mostrar… e quantas vezes o faço com um sorriso… (eu até sou Loira eheheh)
Um chat é um mundo. Uma representação do real. Onde maldade, ingenuidade (pouca lol) e brincadeira… se cruzam.
Precisamos levar tudo isso na brincadeira, ou então… sair e não voltar. Eu volto. Não voltarei diariamente como fazia. Mas, não chorem (lol) pois volto. Sem personagem. Serei sempre eu. E recordarei muitas frases lidas com um sorriso de orelha a orelha. Outras, com sorriso mais tristinho.. mas é normal.
No entanto, ao falar de chat recordo sempre um trecho de uma letra de Boss AC…

“Não acredites no que vês… segue a tua vida como és… A culpa não é tua … Lena... Lena...” ;)

E sabem? Chat ensinou-me muiiito acerca da mente humana. Foi muito positivo. E acredito que continue a ser.

Fiquem bem.

Tenham uma noite descansada e não esqueçam… sejam felizes ;)

Erótica

publicado por Pontog às 02:46
link do post | Dedos Marotos | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 19 de Outubro de 2005

Olá, como vais...velhota pequenina?



Como vais tu ...?

Saudade do bolo de café... do teu sorriso perante as minhas baboseiras, de tomar o pequeno almoço contigo... de te apoiares para dares os passos frágeis de uma pessoa forte pelas ruas e calçadas... De ser a pessoa de cumprir e fazer cumprir os teus últimos desejos e quereres...Cumpri.
De compreender o quereres mais e não conseguires. De entender tudo e o que me pedias nos olhos.
Por compreender ficou o porquê de tanta dor necessária e o quanto a um ser humano é pedido para aguentar...
Pele macia e branca...branquelas com cócegas, baixinha mas matriarca.
Pulso de ferro, vontade soberana...Colher de pau, cara de mau...que se desmanchava em gargalhadas conquistadas pelos meninos...
Lanche, história... brincadeiras e brinquedos, castigos e afastadora de medos...
O teu gosto de mesa cheia, a familia e a partilha....por vezes fácil,outras nem tanto... mas presente assente, nas alturas prementes.
Sinto a tua falta sim...mas a saudade que sinto faz companhia ao amor e ficam em amena cavaqueira e a consolarem-se, a enganarem-se um ao outro... mas assim estão com companhia e têm-se presentes.

Pois é... na vida ou ficamos a olhar para trás e nos escondemos...ou sei lá, fazemos a nossa parte num combinado... uma proposta de nos puxarem pelas orelhas para a vida...e apanhamos boleia.
Ninguém nunca vai entender... também nem vou poder explicar. Passou-se. Mas o processo continua, a caminhada e a vida também...
Reitero hoje, aqui a saudade que sinto tuas, todos os dias... faz parte de mim, mas já não faz parte maior e que me impede. Impulsiona, agora.
O que me deste vai comigo, faz parte de mim e parte do que sou hoje...grande parte...
Quero continuar a ser reguila que alimentaste o querer ser,saber mais e o que entendesse... hoje o dia é teu, é nosso ...e resgato parte... e uma parte...

Vou bincar com legos...mas antes vou ter com os "manos"...

Retribuindo o abraço que tinhas sempre à minha espera, o sorriso o quentinho e o colo...
Ah...e guarda-me um cadito de chá ( já sabes que repito até haver)...e uma fatia....daquelas.....tu sabes... ;)

Beijo, com o amor e a saudade a fazerem de embrulho e de fita ;)




publicado por Pontog às 16:30
link do post | Dedos Marotos | favorito
Segunda-feira, 17 de Outubro de 2005

Pessoas - Marmelo

Marmelo, belo…Batata, crua…
Não sei o porquê da questão…de me dar com gente estranha gente, então. Para mim não há estranheza, mas há afecto e carinho com certeza. Pureza. Genuinidade.
Há quem estranhe que goste de chupar o limão azedo…ou de limonada, mas será tão estranha assim a degustação? A diferença de gostos é tão díspar quantas as pessoas existem, as raças as personalidades.
Só assim se compreende a diferença de privilegiar particulares, na sua imperfeição que é a natureza. Mas é assim que se consegue descobrir toda a possibilidade de gostos e sabores da natureza… A paleta de saberes e sabores…
Com as pessoas não é diferente. Digamos que gosto de marmelos, posso não gostar de marmelada…mas gosto de geleia. Gosto sobretudo do fruto. E das suas infinitas possibilidades…posso não sentir particular atracção pela característica de poder dar marmelada…mas da, no fruto inalterado que pode dar essa possibilidade.
Gosto de pessoas-marmelos.
Se repararem bem e se para perceberem o que digo, se derem uma dentada num marmelo, ou provarem um…reparam…podem arrepiar-se inicialmente, estranharem o sabor, mas logo de seguida vem a água na boca… áspero a princípio, seco aparente… mas numa fracção de segundo: água na boca. E que nos levam a outra dentada…e mais outra…e ainda mais outra…
Há pessoas assim… gosto de pessoas assim. Sorrio com pessoas assim… são a água na boca dos meus dias…mesmo que quem os veja, se arrepie, os considere ásperos ou um fruto feio…ou de atracção e interesse duvidoso…Ou que nem reparem que têm imensas hipóteses de darem belas e docinhas geleias, de comer e chorar por mais…
Se reparam que gosto de pessoas assim, nem se ensejam a dizer nada… ainda bem. Que assim vou saboreando as minhas pessoas-marmelos, predilectas… mesmo dizendo, podiam ficar com a marmelada, mas não com a geleia, ou o fruto…podia ser que aprendessem a admirar também… e descobrissem o doce saber e sabor. Gustação. Admiração.
Crua batata, belo marmelo…
Faz-me evocar um episódio de infância…que ninguém percebia o porquê que alguém a passear pela cozinha,fazia-se passar pelas costas distraidamente e surripiar uma ou outra batata em palito ou rodela… crua e comer…e de gostar de as comer cruas… e fazer sorrir com aquilo, quem reparava…e lá se ia sem explicação, apenas degustação.
Puro sabor… Puro saber…


SeeUArround e afins... ;)


publicado por Pontog às 01:25
link do post | Dedos Marotos | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 15 de Outubro de 2005

Chegou e disse...

Boa noite!
Aqui estou, pronto para mais uma sessão de melguice. Sim que eu sou o verdadeiro Melga! O melga que massacra, ofende, desce baixo… baixo… Eu sei! Tenho consciência do quão baixo consigo descer. Testo reacções. Sinceramente, poucas são as que me surpreendem (quer dizer… aquela da borbulha infectada deixou-me a modos que sem palavras, mas… foi só por segundos. Grande vaca! O que a gaja queria sei eu.) Mas... continuando. Onde é que eu ia? à sim... Apesar do previsiveis que são, continuo a testar. É mais forte que eu.
Sou o rei dos personagens. Diria mesmo que “sou o rei desta merda toda”… sei muita coisa. Conheço-vos bem… ahahahahahah cambada de otários!!! Nem imaginam o quanto riu à vossa conta. Sou o maior!!! Mas é que sou mesmo… o maior!!!
Mudo de personagem com a maior das facilidades. Num momento sou um gajo culto, educado que desenvolve conversas interessantes e conquista simpatias no meio feminino (sim.. as miudas não me resistem eheh); no momento seguinte posso ser uma gaja envolvente, sedutora que consiga deixar de rastos o gajo mais céptico nestes meios virtuais ou até mesmo os que se julgam muito experientes (ahahahah é lindo ver as reacções destes gajos que se julgam os maiores…).
Mas eu só testo reacções. É mais forte que eu. Até as minhas… Testo os meus próprios limites. Momentos há, em que me sinto prisioneiro das minhas próprias personagens. Dos meus próprios testes. Dos meus próprios limites. Prisioneiro do meu sentir. Nesses momentos, solto o pior que há em mim. Não há quem me aguente looooooool. Creio que nesses momentos nem eu me aguento eheh!
Sou o ódio de estimação de muitos, mas também atraio simpatias… empatias. E também as sinto. Foda-se!! Detesto lamechices. É melhor acabar esta merda de texto quanto antes. Não era suposto tomar este rumo.. Que *******…
Não me apetece ofender ninguém… por isso é melhor ir dormir.

( Poderia acrescentar que na descrição efectuada qualquer semelhança com a realidade não passa de mera coincidência, mas… não acredito em coincidências ;) )


Fiquem bem

Tenham uma noite descansada

Erótica


publicado por Pontog às 04:12
link do post | Dedos Marotos | favorito
Segunda-feira, 10 de Outubro de 2005

Novo Ciclo...

Hoje iniciei um novo ciclo na minha vida. Doeu. Tal como dói sempre que deixamos algo que nos marcou. Mesmo que o façamos voluntariamente. Não podia continuar assim. Tinha que ser honesta para com outros e, principalmente, para comigo. Sei que a partir deste momento os meus dias terão novo significado. Sei que a partir deste momento a vida de alguém tomará um novo rumo… melhor. Mesmo que ainda não o tenha percebido… mesmo que se sinta perdido, infeliz.
Talvez eu também me sinta um pouco perdida. Ou não…
Tinha que deixar de viver num circulo em que passado e presente se misturavam.
Vou seguir o rumo que eu mesma tracei. Vou ser Eu!

Fiquem bem e, não esqueçam... sejam felizes ;)

Erótica

publicado por Pontog às 00:21
link do post | Dedos Marotos | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 5 de Outubro de 2005

...

" O tempo, subitamente solto pelas ruas e pelos dias,

como a onda de uma tempestade a arrastar o mundo,

mostra-me o quanto te amei antes de te conhecer.

eram os teus olhos, labirintos de água, terra, fogo, ar,

que eu amava quando imaginava que amava. era a tua

a tua voz que dizia as palavras da vida. era o teu rosto.

era a tua pele. antes de te conhecer, existias nas árvores

e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde.

muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade. "

José Luis Peixoto


Tenham uma noite descansada e, não esqueçam... sejam felizes ;)

Um óptimo Feriado

Erótica

publicado por Pontog às 03:10
link do post | Dedos Marotos | ver comentários (1) | favorito

.Mais sobre Nós

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28


.Posts recentes

. Regressei (acho..)

. Vem aí o Natal...! Ho!Ho!...

. Catálogo púbicus! (perdão...

. Voltei...

. To whom it may concern...

. Os sonsos...

. Dia do Egoísmo (Reposição...

. A história D'el feijão má...

. Feliz Aniversário, Kiinky...

. O primeiro beijo

.Preliminares

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.tags

. todas as tags

.Interesses Especificus

SAPO Blogs

.subscrever feeds