Sexta-feira, 28 de Outubro de 2005

Beijo

Não posso deixar que te leve
O castigo da ausência,
Vou ficar a esperar
E vais ver-me lutar
Para que esse mar não nos vença.
Não posso pensar que esta noite
Adormeço sozinho,
Vou ficar a escrever,
E talvez vá vencer
O teu longo caminho.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

Leva os meus braços,
Esconde-te em mim,
Que a dor do silêncio
Contigo eu venço
Num beijo assim.

Não posso deixar de sentir-te
Na memória das mãos,
Vou ficar a despir-te,
E talvez ouça rir-te
Nas paredes, no chão.
Não posso mentir que as lágrimas
São saudades do beijo,
Vou ficar mais despido
Que um corpo vencido,
Perdido em desejo.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

Leva os meus braços,
Esconde-te em mim,
Que a dor do silêncio
Contigo eu venço
Num beijo assim.

Pedro Abrunhosa

Uma das minhas musicas preferidas :)


Fiquem bem

Votos de um óptimo fim de semana para todos

Erótica

publicado por Pontog às 16:38
link do post | Dedos Marotos | favorito
2 comentários:
De Anónimo a 31 de Outubro de 2005 às 03:52
Também é das minhas músicas preferidas... :)

Obrigado pelos teus comentários. Quanto ao meu último post, não te preocupes. Estou muito bem comigo mesmo e com a vida. Mas naquele sítio só "posso" pôr coisas assim... Não é um diário. É apenas um espremedor selectivo. E eu uma laranja. Com algum sumo para dar. :)

Já dizia o outro:

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente."

Boa semana!Pirata
(http://www.fragmentosaovento.blogspot.com)
(mailto:A_minute_longer@hotmail.com)


De Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 23:43
Bom fds também para ti. Wrong Way
</a>
(mailto:umdiamais@hotmail.com)


Dedos Marotos