.....

Sexta-feira, 3 de Junho de 2005

(Des) Existência

Vejo-te aí esperando e querendo mais de mim e eu tudo o que consigo fazer é…tentar…
O teu amor e afecto comovem-me, mas não consigo ter para te dar, o que precisas, o que mereces…
Tento, mas não me sinto a tentar o suficiente, ou sinto que tento demais…demais para que te dê o que precisas…mas o que precisas e sempre precisaste era a sinceridade do meu amor, do meu afecto…que ele fosse teu genuíno e naturalmente, como merecias, como eu merecia, como eu quis dar e não consegui…
És um ser humano especial e eu sinto-me por vezes indigna por não conseguir corresponder, ou porque o “tentar” faz com que me sinta a enganar, anti-natural…
Tu não mereces, eu não mereço…porque nem sou má pessoa, acho, não, tenho a certeza que não sou, mas o não conseguir gostar de ti, amar-te como mereces, faz com que me comece a duvidar se sou…se sou boa pessoa, se mereço… ou o que se passa comigo por não conseguir amar uma pessoa boa, verdadeiramente boa…
Começo a sentir-me penalizada por sentir isto, quando olhas para mim com todo o afecto e amor que me dedicas…
Começo a duvidar de mim, e que tenha capacidades de amar alguém…
Ou que o mereça…
Isto não nos está a fazer bem...a me fazer bem, sinto-me a enganar-te e sobretudo a enganar-me…
Nenhum merece…
Mas todos merecemos, acreditar, amar, realizar….tudo…
Preciso de acreditar….e estar aqui, agora, faz com que cada dia acredite menos, realize menos, me sinta merecedora de menos…
Começo a penalizar-me por existir, ou na volta nem existo, não assim…assim é uma inexistência que começa a ser demasiado pesada...a tomar uma grande e demasiado espaço dentro de mim…O estado de dormência em que vivi até agora, hoje já não me serve…
Nunca devia ter servido, existido, co-existido, se instalado…
Mas não é tarde…
Para mim.
Para ti.
(engraçado reparo agora que consegui desde à muito pensar em mim primeiro…fazer-me parte da equação e tomar o lugar que me pertencia, em mim…)
São mudanças, caminhos, possibilidades…presentes.
E este Presente é meu, e está na hora de o assumir, de me assumir…
Não desisto…
…Não de mim…
…Não de ser…
…Não de me cumprir…

SeeUArround ... e afins ;-)

Fetiche



publicado por Pontog às 19:42
link do post | Dedos Marotos | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 3 de Junho de 2005 às 22:41
Fetiche,
A verdade é que um amor precisa de outro amor para sobreviver,se assim não for,não terá sido um amor.Terá sido apenas uma grande dor.Parece-me por isso que não podes nem deves culpar-te por não amares quem te ama.No amor não é a razão que escolhe,é o coração.Gosto bastante desta definição de amor:
O amor é uma coisa e a vida é outra. Amor é amor.É essa a beleza.É esse o perigo.O amor não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes.Tanto pode como não pode.Tanto faz.A vida às vezes mata o amor.O amor não é um meio, não é um fim, não é um principio, não é um destino.O amor é uma condição.O amor não se percebe.Não é para se perceber.O amor é a nossa alma.É a nossa alma a dessatar.A dessatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreeende.O amor é uma verdade.É por isso que a ilusão é necessária.A ilusão é bonita. Num momento, num olhar, o coração apanha-se.Ama-se alguém.Por muito longe, por muito dificil, por muito desesperadamente.É sinal de amor não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar esperança, doer sem ficar magoado.
É que o amor é uma coisa e a vida é outra. Amor é amor.É essa a beleza.É esse o perigo.O amor não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes.Tanto pode como não pode.Tanto faz.A vida às vezes mata o amor.O amor não é um meio, não é um fim, não é um principio, não é um destino.O amor é uma condição.O amor não se percebe.Não é para se perceber.O amor é a nossa alma.É a nossa alma a dessatar.A dessatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreeende.O amor é uma verdade.É por isso que a ilusão é necessária.A ilusão é bonita. Num momento, num olhar, o coração apanha-se.Ama-se alguém.Por muito longe, por muito dificil, por muito desesperadamente.É sinal de amor não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar esperança, doer sem ficar magoado.
E com o tempo e a maturidade nós vamos descobrindo que só porque nós não amamos alguém da maneira que nós queriamos não significa que não se ame esse alguém com tudo o que podemos pois existem pessoas que nós amamos mas simplesmente não amamos com a intensidade com que essa pessoa gostaria.
Fiquem bem.
Bom fds.
BjosArt Of Love
(http://bizaazul.blogspot.com)
(mailto:bizaazul@iol.pt)


Dedos Marotos

..

Imagem(037).jpg

.Mais sobre Nós

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28


.Posts recentes

. Regressei (acho..)

. Vem aí o Natal...! Ho!Ho!...

. Catálogo púbicus! (perdão...

. Voltei...

. To whom it may concern...

. Os sonsos...

. Dia do Egoísmo (Reposição...

. A história D'el feijão má...

. Feliz Aniversário, Kiinky...

. O primeiro beijo

.Preliminares

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.tags

. todas as tags

..

eXTReMe Tracker

.Interesses Especificus

SAPO Blogs

.subscrever feeds